segunda-feira, 3 de outubro de 2016

FENG SHUI - A ESCOLA DA FORMA

Conheça a Escola mais antiga e próxima das origens do Feng Shui


Veja como utilizar seus conceitos na escolha do local ideal.





A Escola da Forma é a que está mais próxima das origens do Feng Shui.

Na China Antiga era prática comum o culto aos ancestrais. Os chineses ao longo do tempo desenvolveram um método para determinar os locais ideais para erguer os memoriais aos seus mortos bem como para sepultá-los. Deveriam ser locais protegidos das intempéries da natureza. Seguindo esta escola, as construções sempre serão adequadas à paisagem que as envolve. A observação do entorno, da direção dos ventos, do relevo, da presença dos elementos e a adequação da construção à paisagem, determina um espaço equilibrado com harmonia da estética e na energia. A construção passa a fazer parte da paisagem de forma integrada e sutil.

Nesta Escola, cada elemento está associado à uma forma:

O elemento fogo, tem a forma triangular como a das chamas.
O elemento água, tem formas onduladas e orgânicas.
O elemento madeira, tem formas cilíndricas como as dos troncos das árvores.
O elemento metal, tem formas redondas ou ovais.

Temos também a associação das direções com animais sagrados e com as estações do ano:

Os animais estão associados às suas virtudes e estas virtudes promovem o perfeito equilíbrio do espaço.


A tartaruga preta representa a estabilidade, a persistência e a segurança.



fênix vermelha, representa a boa sorte, o renascimento, a proteção para seguir o destino e a capacidade de analisar as situações.


O tigre branco, representa a capacidade de ação e movimento em qualquer situação, seja de defesa ou de ataque.


O dragão verde representa a sabedoria, a capacidade de discernimento, o julgamento e a força vital.

Também temos a representação da serpente ao centro que rege o comando e a capacidade de ação diante dos fatos.




Na China antiga, os vales eram comumente escolhidos como locais ideais; protegidos dos ventos e das intempéries pelas montanhas ao seu redor. Em seu aspecto físico, os vales são como centros protetores e permitem que a energia vital do espaço não seja dispersada.  O local ideal, deveria ter uma montanha mais alta ao leste, representando o dragão; uma outra montanha ao norte, representando a tartaruga preta; uma montanha menor ao oeste representando o tigre branco; ao longe e ao sul, uma montanha representaria a fênix de maneira a permitir a visão de todo o horizonte; ao centro, a serpente capacitaria para a ação todos os ocupantes do espaço.

Como hoje em dia é praticamente impossível encontrarmos um local com as características ideais propostas pela Escola da Forma, podemos lançar mão destes conceitos para adequá-los à  nossa realidade. Claro que antes de adquirir ou construir um imóvel, as condições do entorno devem ser observadas. Leve em conta o que acontece na vizinhança; o tráfego de automóveis, o comércio, a arborização, os prédios vizinhos, a presença de torres de energia etc. Tendo um local adequado, podemos pensar na aplicação dos conceitos da forma.

Sabemos que à cada Guá está relacionado um elemento:

Trabalho = água
Espiritualidade = terra
Família = madeira
Prosperidade = madeira
Sucesso = fogo
Relacionamentos = terra
Criatividade = metal
Amigos = metal

Portanto, uma maneira de utilizarmos os conceitos da Escola da Forma é na composição de nossos espaços quanto ao design de móveis e objetos; para cada Guá, defina as formas relacionadas em móveis, quadros, objetos etc. Podemos também observar a presença das formas relacionadas no entorno da construção.

Podemos também abstrair ainda mais estes conceitos e criar espaços onde a representação dos animais sagrados esteja presente de maneira simbólica.

a

Por exemplo: (Você está sentado no sofá)

Em uma sala de estar onde uma grande tela atrás do sofá principal representa a tartaruga negra como proteção; a esquerda, um móvel de maior porte ou na cor mais escura representando o dragão e a sabedoria; a direita, um móvel de menor porte representando o tigre branco da ação e, à frente, um espaço aberto e livre simbolizando a fênix.
Desta maneira, soluções de design são propostas sem que sejam utilizados os símbolos propriamente ditos.
Certamente, todos os que estiverem num ambiente composto desta maneira se sentirão protegidos, estimulados e em harmonia.


Veja outros exemplos na prática