sábado, 7 de abril de 2012

FLORESTA URBANA

Como são as fachadas cheias de vegetação de megaprédios na Europa



O conjunto Bosco Verticale, em Milão, e a Torre Huerta, em Valência, tem árvores de médio e gra nde porte em todos os seus andares. Suas fachadas são florestas urbanas
Reportagem Giuliana Capello


Tendência mundial, fachadas com vegetação abundante arrefecem o calor, combatem a poluição, devolvem o verde à paisagem da cidade e até reduzem o consumo de energia graças à sua maior eficiência térmica. No conjunto Bosco Verticale (acima), em milão, que ficará pronto no final do ano, o escritório italiano Boeri Studio levou o conceito ao extremo: suas duas torres de apartamentos residenciais estão sendo construídaspara receber quase 500 pés de árvores de médio e grand e portes, além de 250 espécies menores, 5 mil arbustos e 11 mil plantas rasteiras. Juntos, os bosques suspensos somam 1 hectare de mata. “Esse tipo dearquitetura biológica recusa uma abordagem estritamente tecnológica e mecânica quando o assunto é sustentabilidade”, diz o arquiteto Stefano Boeri. outro exemplo, assinado pelo escritório holandêsmVrDV com a participação dos espanhóis do estúdio MGAARQTOS, vem da Espanha. ainda em fase de projeto, a Torre Huerta, em Valência, na costa mediterrânea, prevê laranjeiras, limoeiros, amendoeiras e pés delavanda pelos terraços dos 21 andares.



Cálculo estrutural garante a segurança.
Para suportar uma floresta vertical desse tamanho, a estrutura do edifício deve levar em conta não só o pe so da vegetação como também a carga proveniente da combinaçãode terra e água e a incidência de vento. Henrique Lindenberg Neto, professor do Departamento de Engenharia de Estruturas e Geotécnica da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli- USP), assinala a importância do rigor nos cálculos estruturais e nas estratégias que evitem infiltrações. “Um bom projeto e, especialmente, uma manutenção regular são fundamentais”, diz. E não podem faltar pontos de drenagem da água. No Bosco Verticale, esse cuidado foi tomado nas caixas de plantio, nos contornos das varandas.

 de Arquitetura e construção